O Projeto de Lei que ora apresentamos tem por objetivo estimular a utilização do papel reciclado nas repartições públicas da administração direta e indireta e autarquias no âmbito do Estado do Tocantins, gerando uma economia para os cofres públicos no contexto geral.

Com o papel reciclado é possível produzir documentos, publicidade e convites tão ricos e belos quanto o papel não reciclável, gerando benefícios e vantagens, onde estaremos contribuindo para uma utilização dos recursos naturais; assumindo uma postura coerente para com a sociedade, além de alerta todas as repartições públicas da importância e economia com o uso do papel reciclado; além de colaborar de forma direta para a geração de emprego e renda, pois na ponta dessa iniciativa estará o catador de resíduos sólidos, um contingente populacional importante que terá a possibilidade de sair da exclusão ao qual foi submetido e proporcionar um futuro melhor para seus filhos.

Dados nacionais mostram que o papel continua na lista dos produtos de maior impacto ambiental. Para minimizar os danos, consumidores precisam rever seus hábitos de consumo e exigir mudanças no modo de produção.

Para produzir 01 tonelada de papel são necessárias 02 a 03 toneladas de madeira, uma grande quantidade de água (mais do que qualquer outra atividade industrial), e muita energia (neste caso ocupa o quinto lugar na lista das que mais consomem energia). O uso de produtos químicos altamente tóxicos na separação e no branqueamento da celulose também representa um sério risco para a saúde humana e para o meio ambiente – comprometendo a qualidade da água, do solo e dos alimentos.

O Estado do Tocantins, através do Governo adotando essa prática do uso do papel reciclado em suas repartições públicas além de ganhar notoriedade a nível estadual assume a responsabilidade social, comprometendo com a preservação do meio ambiente e sobre tudo provando, consciência ambiental.

Artigos Relacionados